características, tipos e obras [resumo]

O texto de ficção é tido como imaginário, ou seja, pode ser baseado na realidade dos nossos costumes, porém, não se preocupa em retratar a realidade, ou fatos reais, exatamente como são.

Dessa forma, “Código Da Vinci”, por exemplo, que é descrito como um romance, trata-se, na verdade, de um texto de ficção (romance), pois, seu enredo foi criado na mente do autor, ainda que apresente fatos históricos em sua trama.

Assim, podemos definir o termo “ficção” como o termo usado para designar uma narrativa imaginária, irreal, ou referir obras (de arte) criadas a partir da imaginação.

Em contrapartida, a não-ficção reivindica ser uma narrativa factual sobre a realidade. Importa ressaltar que as obras ficcionais podem ser parcialmente baseadas em fatos reais, mas sempre contêm algum conteúdo imaginário.

Imagem: Reprodução

O Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa define ficção como “ato ou efeito de fingir; simulação, fingimento ou coisa imaginária; fantasia, invenção, criação”.

Essa visão permite formular o fenômeno da criação como composto por três elementos: o artista, o objeto e, entre eles, a obra e seu material transformado – a tinta em figuras humanas no caso da pintura, a palavra em figuras de linguagem no caso da poética etc.

Além disso, Oscar Wilde, mais tarde, observaria que a arte ambiciona à criação de um mundo fictício muito mais belo e atraente do que aquele em que se vive.

Portanto, a ficção, desde os tempos da tradição oral, tem sido uma importante ferramenta de compreensão do mundo, pois, quando ficcionalizamos, o fazemos através de uma narrativa, onde o início se desenrola até uma conclusão conciliadora e explicamos o mundo como o vemos – e a partir disso, explicamos a nós mesmos.

Características do texto de ficção científica e ficção fantástica

Ficção científica

Assim como as outras obras de ficção em prosa, a ficção científica também apresenta um narrador, personagens, enredo, trama, estilo, cenário e um tema.

O ponto responsável pela distinção desse subgênero, é a relação entre o texto de ficção e o texto científico. Contudo, para que uma obra seja caracterizada como ficção científica, a ciência apresentada na história deve estar completamente à frente de seu tempo e extrapolar os dados da realidade atual.

Ao mesmo tempo deve se distanciar do tempo científico e tecnológico presente e procura embasar as suas projeções em um desenvolvimento racional, diretamente voltado e fundamentado na ciência, e ainda que longínquo, possível de se tornar real.

texto de ficção distópica
Imagem: Reprodução

O texto de ficção científica, assim como nas outras ficções, apresenta as questões da ética, da moral, dos valores e dos princípios.

A ficção científica procura exaltar as posturas do ser humano diante da evolução tecnológica e científica. Essa evolução traz ao homem a consciência de poder, de realizar, e consequentemente, de controlar e de tudo dominar.

Devido a esse pensamento, com bastante frequência, encontramos as catástrofes coletivas nos textos de ficção científica, porque na grande maioria dessas obras literárias, o que deveria ser um benefício à humanidade, acaba sendo o veiculo da destruição pela falta de controle e bom senso do homem, pela ausência de valores éticos e dos princípios básicos para que a sociedade possa permanecer e seguir em frente.

A ficção científica se divide em sub-gêneros como o steampunk (Leviathan), a ficção científica militar (Ender’s Game), invasão alienígena (Independence Day), ficção apocalíptica (Snowpiercer, O Dia Depois de Amanhã) e viagem no tempo (12 Macacos).

Ficção fantástica

A fantasia, em sua maioria, aborda o tema de homem vs sociedade. É um debate comum, mas que coloca, no caso, o herói no centro e como ele interage com o mundo ao seu redor.

A “jornada do herói” é bastante explorada pela ficção fantástica. Em sua maioria, se o herói não completar sua missão, o mundo inteiro sofre as consequências.

Consequentemente, quase toda a fantasia é sobre o herói achar o lugar em seu mundo. Talvez não exatamente como indivíduo, mas como um todo. É normalmente reflexivo da sociedade e de como o ser humano interage com ela.

É nesse gênero que ganham os componentes sobrenaturais, uso de magia e personagens míticos ganham destaque.

texto de ficção fantástica
Imagem: Reprodução

A ficção fantástica também se divide em sub-gêneros. Temos a fantasia épica (Trono de Vidro, Senhor dos Anéis), que proporciona o leitor um novo mundo inteiramente diferente, a fantasia urbana, que se passa no nosso mundo mas com elementos mágicos (Cidade dos Ossos).

Também temos histórias de horror e paranormal (A Outra Volta do Parafuso), a space opera (Jupiter Ascending), o realismo mágico (Circo da Noite), a fantasia mítica e a fantasia histórica.

Referências

Literatura fantástica: gênero ou modo? – Marisa M. Gama-Khalil
A literatura fantástica: um protocolo de leitura – Maria Cristina Batalha
O conceito de ficção em Hayden White e sua validade para os debates em história e literatura – Henrique C. Pereira
A Literatura de Ficção ou a Ficção da Literatura? – Ivete L. Camargos Walty



link